PIRÓLISE

O crescimento de populações e poderes de compra impulsiona a demanda mundial por energia, prevista para 770 quadrilhões de Btus em 2035, 53% acima do consumo em 2008.
A geração termelétrica apresenta benefícios como velocidade de implantação e adequação à demanda e à sazonalidade, porém sua operação emite grandes quantidades de gases de efeito estufa, com riscos ambientais e à saúde humana. A previsão de crescimento de 60% desta modalidade de geração elétrica no Brasil até 2021 tem causado preocupação.
Um grupo de pesquisadores brasileiros desenvolveu um material cerâmico que aquecido por microondas atinge rapidamente temperaturas muito elevadas. Este material apresenta ótimos resultados na incineração de gases e pretende-se utilizá-lo em um dispositivo de escala pré-industrial para pirólise de gases de efeito estufa.
Desenvolvimento Proposto
Será construido e testado um dispositivo de escala pré-industrial que reproduza o desempenho de sucesso dos ensaios laboratoriais, além de avaliar a implantação de unidades de escala industrial.
O conceito, semelhante ao de catalisadores de automóveis, é beneficiado pela substituição do revestimento químico da cerâmica por temperatura e pela grande eficiência energética do conjunto cerâmica+microondas.

Detalhes do Projeto de Desenvolvimento
Desenvolvimento tecnológico associado à Unicamp
Período de desenvolvimento: 36 meses
Inovação principal
A inovação está centrada no aproveitamento das características dielétricas de materiais susceptores de radiofrequência, cerâmicas a base de Silício e Zirconita, que convertem a energia eletromagnética das microondas em calor, mantendo altíssimas temperaturas (2000⁰C).
Este dispositivo pode substituir com vantagens os queimadores atualmente utilizados em processos de incineração, promovendo a combustão sem a presença de chamas ou emissão de gases poluentes.
A aplicação destes conhecimentos para redução da emissão de gases de efeito estufa em UTEs é inétita no mundo.
A tecnologia em desenvolvimento premiou o inventor com o Prêmio FINEP de Inovação 2012

Incentivos a Investimentos em Inovação
Incentivos financeiros e fiscais estão disponíveis para empresas que investem em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Deduções fiscais, empréstimos com taxas de juros subsidiadas e até mesmo sem a necessidade de reembolso proporcionam impactos importantes nas finanças destas empresas