Mais inovação no setor elétrico

A visão estratégica dos projetos de PD&I ANEEL foi tema do 3º encontro de P&D dos agentes do setor elétrico, e o convidado foi José Lavaquial, sócio diretor da hubz

Os valores aplicados pelos programas de P&D das empresas do setor de eletricidade reguladas pela ANEEL são crescentes. Em 2015, foram investidos 134 projetos somando um total de R$ 646 milhões. Em 2016, 179 projetos receberam R$ 1,4 milhão e a previsão para 2017 é otimista, visto que, até o mês de fevereiro, já haviam sido cadastrados no banco de dados da ANEEL, 10 projetos somando um total de R$ 30 milhões. Os resultados para a sociedade, entretanto, poderiam ser mais tangíveis se as empresas fossem mais hábeis na transformação desses investimentos em produtos. Como está esse mercado no Brasil? Como a hubz faz para ajudar essas companhias? Em meados do mês de março, tivemos o prazer de falar sobre estes importantes temas e compartilhar as experiências da hubz no 3º EPASE – Encontro de P&D do Setor Elétrico, um dos eventos sobre pesquisa e desenvolvimento mais importantes na área de energia, no país. Com a apresentação “P&D+ I no setor elétrico: A estratégia e a obrigação”, o sócio-fundador da hubz, José Lavaquial, destacou pontos críticos para uma visão moderna e mais eficiente do uso de recursos de P&D+I. “O setor de eletricidade já investiu muito em pesquisa, precisamos avançar na cadeia de inovação e transformar investimentos em produtos!”, disse. São várias as melhorias identificadas pela hubz para extrair resultados mais concretos dos Programas de P&D+I no setor elétrico. Para as concessionárias, é importante que exista: decisão corporativa e contratação de Lavaquial, da hubz: precisamos avançar na cadeia de inovação projetos nas fases mais avançadas da cadeia de inovação; estabelecimento de contratos padrão, para trazer agilidade na contratação de projetos de desenvolvimento (pois concessionárias e executoras poderão aderir a textos previamente conhecidos); e captação mais fácil de recursos adicionais (BNDES, BID, FAPEs, H2020), que permitem acelerar o projeto e mitigar riscos inerentes ao P&D. Por fim, todos podem ser ainda mais beneficiados com a maior agilidade da ANEEL na implementação de ajustes ao Manual do Programa de P&D do setor. “Inovar é uma forma sustentável de gerar riqueza, fruto de um trabalho persistente de pesquisa e desenvolvimento. Mas, ideias e projetos só viram inovação quando chegam ao mercado. É preciso conhecer a cabeça de quem faz, de quem financia e de quem compra produtos e serviços inovadores, para estabelecer as conexões certas e gerenciar inovações como empreendimentos”, completa Lavaquial.materia-epasehubz-no-Epase---melhorando-pdi-setor-eletrico-no-Brasil

hubz no Epase – melhorando pdi setor eletrico no Brasil